Notícias

Paralisação dos Auditores Fiscais repercute na imprensa

Apesar da vinculação do movimento paralisatório dos Auditores Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil) com a articulação de diversas carreiras de Estado contra a MP (Medida Provisória) 805, que aumenta a contribuição previdenciária na parcela do salário dos servidores que ganham acima do teto do RGPS (R$ 5.531,31) e adia reajustes para 2019 e 2020, grande parte dos jornais do país destacaram as ações reivindicatórias da Classe, iniciadas no dia 1º de novembro.

O movimento paralisatório dos Auditores Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil), iniciado no dia 1º de novembro, vem ganhando as páginas de jornais em todo o país.

O jornal O Globo destacou os atos realizados nos principais aeroportos do país, como o internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio, e de Guarulhos, em São Paulo, e citou que nas aduanas, incluindo portos, aeroportos e zonas de fronteiras, os Auditores iniciaram uma operação-padrão, reduzindo a fiscalização no transporte de mercadorias e afetando os canais de importação e exportação. A paralisação dentro da repartição também foi mencionada na matéria. A Gazeta on line também replicou o conteúdo.

Citando o Bônus de Eficiência como a causa do movimento, o  blog Poder 306 estampou o acirramento de ânimos e a retomada da greve por tempo indeterminado. A reportagem citou um dos trechos de uma nota do Sindicato que ressalta que “os auditores fiscais não aceitarão o rebaixamento do cargo ou da Receita Federal do Brasil. E nem tampouco se calarão para as interferências indevidas de técnicos do Planejamento, incansáveis na tarefa de fazer com que o acordo salarial seja descumprido. ”

Além de falar da realização de operação-padrão e da suspensão das atividades dos Auditores Fiscais na repartição, o Estado de S. Paulo de sexta-feira (3/11), citou e a possibilidade de uma manifestação nacional no próximo dia 10 de novembro contra a MP 805. “As entidades vão agir de forma articulada, não só na atuação parlamentar, como na via judicial e com estratégias de paralisações conjuntas”, disse à reportagem o presidente do Sindifisco Nacional Auditor Fiscal Claudio Damasceno.

O Diário do Nordeste e a Veja também citaram a paralisação da Receita e o movimento conjunto de entidades contrárias à MP 805/17.

 

Fonte: Sindifisco Nacional

Categorias:

Comentários

  • Marcus Vinicius

    25 de setembro de 2020 - João Pessoa - PB

    Espero que consigam o que querem rápido. Apoio completamente essa atitude, porém, um produto que vem de tão longe já demora tanto chegar com a capacidade de 100%, imagina agora com 30%? Isso acaba indiretamente afetando a nós também.....
  • Allx Jones

    25 de setembro de 2020 - allxmab@gmail.com

    Boa tarde,
    Quando a paralisação vai parar e as entregas irão voltar ao normal?
  • Edmundo

    25 de setembro de 2020 - Uberlândia-MG

    Primeiramente, FORA TEMER! Em segundo lugar, gostaria de deixar claro que apoio sempre a livre manifestação do trabalhador, principalmente quando se utiliza de sua ferramenta de maior poder: a greve.
    Mas venho aqui fazer uma apelação em nome dos que dependem de seus serviços para que recebam suas encomendas (razoalvelmente) dentro do prazo.
    Acredito que falo por muitos.
  • Vander

    25 de setembro de 2020 - Pouso Alegre

    Boa tarde, gostaria de dar uma sugestão, porque ao invés de paralisarem os serviços, os auditores não liberam 100% das importações sem tributação, dessa maneira estarão mexendo no bolso do governo fazendo com que ele realmente enxergasse a importância dos auditores. Fica a sugestão!
  • Felipe

    25 de setembro de 2020 - Marília

    Só quero deixar minha opinião, estou esperando minha encomenda já faz mais de 2 meses, quando ela finalmente chega no Brasil vocês entram em Greve, eu apoio qualquer forma de expressão de nossos direitos, mas dessa forma vocês estão pensando a população que não tem nada a ver com o que vocês estão lutando, ao invés disso porque vocês não liberam todas as encomendas que serão tributadas sem tributos assim o governo será lesionado. Do jeito que estão só está prejudicando nós que não temos nada com isso tudo, liberem todas encomendas. Obrigado!
  • Vanderlei Silvestre Braga

    25 de setembro de 2020 - vanderleibraga@gmail.com

    Acho que os auditores fiscais deveriam se vingar do governo onde dói, ou seja, no bolso. Como? Retornando as atividades imediatamente é liberando tudo sem taxar nada. Acho que teria mais efeito. Quando o governo sentir a perda fiscal vai aceitar qualquer termo sem impor condições alguma.
  • Noel

    25 de setembro de 2020 - Maceió

    Enquanto isso, não recebo nada de minhas encomendas. :'(

Comente esta notícia

código captcha