Notícias

Imagem

Você tem prestado atenção aos sinais de socorro do seu corpo?

Um olhar mais atento ajudará você a identificar sinais importantes que podem determinar a sua saúde.
 
Tenho ao longo dos anos ouvido diversos relatos sobre como as pessoas se relacionam com seus corpos, e sinto que cada dia que passa mais as pessoas têm se distanciado de si mesmo. Às vezes tenho a impressão de que existe uma cisão concreta entre o corpo e a mente, de tão acentuada que é essa desconexão.
 
A comida sempre disponível se tornou parte de um roteiro automático, uma grande parcela de pessoas não prestam atenção ao que consomem, apenas ingerem a comida para saciar o desconforto da fome, ou ainda comem até se sentirem cheias como se fosse uma recarga para dar continuidade ao dia.
 
Passam os dias alienados em seus compromissos de trabalho, de casa, com os filhos e se esquecem de que o corpo necessita de cuidados e de um olhar mais atento. Atualmente são poucas as pessoas que investem em cuidados com a saúde por opção, a maioria só opta por esses cuidados quando o corpo já cansou de dar sinais de socorro, e, acredite, uma boa parte irá ignorar até quando o risco for bem concreto. É claro que a morte é algo que está no nosso caminho, mas podemos cuidar para termos as chances de uma vida mais longa e com qualidade de vida.
 
Você já parou para pensar em como as dores, desconfortos e doenças que você vem manifestando têm relação direta com o se estado emocional? Um estado de tensão pode levar a diversas reações no nosso organismo, como dores musculares, enxaqueca, dores de estômago, insônia, doenças de pele, entre outros. Nosso corpo é uma máquina complexa e que funciona de acordo com o que pensamos, sentimos e ingerimos, desta forma qualquer fator externo ou sentido internamente pode ser gerador de algum problema de saúde.
 
Então meu convite agora é que comece a prestar a atenção no que vem sentido nos últimos tempos e como o seu emocional e sua alimentação podem estar influenciando na sua saúde. O sobrepeso já é um sinal de que algo não está bem, a obesidade então já é um grito agudo de socorro. E vamos ser sinceros, não é nada fácil resolver essa questão, até porque a comida é uma fonte de prazer rápida e facilmente obtida.
 
As comidinhas rápidas normalmente são saborosas e só de pensar já sentimos o gostinho, o famoso deu água na boca. É claro que é muito mais fácil e prático pedir uma pizza do que ir para a cozinha preparar uma refeição, mas é nesse momento que podemos começar a pensar em como sua saúde não é prioridade, e sim a rápida satisfação de sentir prazer. Aliado a esse comportamento já podemos identificar o que nos leva a comer dessa forma, que sentimentos, emoções estão presentes?
 
O nosso estado emocional pode sofrer diversas oscilações de acordo com as experiências que vivenciamos, mas geralmente a tristeza, a solidão, a ansiedade, perdas, cansaço, a raiva, a sensação de merecimento após um dia exaustivo são gatilhos emocionais que levam as pessoas a comerem qualquer coisa gostosa que sacie rapidamente e na grande maioria das vezes, o doce está na lista.
 
Todos os estados emocionais ligados ao comer abusivo devem ser acolhidos e cuidados. Atualmente há diversos caminhos para se trabalhar os aspectos emocionais diminuindo quaisquer que sejam os malefícios no corpo e na vida em geral. É preciso olhar com atenção para o que o seu corpo tem manifestado e então cuidar de forma a não deixar progredir, mas quando já são bem visíveis é importante o máximo de atenção. Afinal, seu corpo é o seu reflexo, somos o que comemos, como nos cuidamos e pensamos.
 

Fonte: Estadão

Categorias:

Comente esta notícia

código captcha